segunda-feira, 18 de março de 2013

[RESENHA] - A Ascensão dos Nove


Informações:
Edição: 1
Editora: Intrínseca
ISBN: 9780061974588
Ano: 2012
Páginas: 287
Tradutor: Débora Isidoro
Skoob: [LINK AQUI]



Sinopse: Antes de encontrar John Smith, o Número Quatro, eu estava sozinha, lutando e me escondendo para continuar viva.

Juntos, somos ainda mais poderosos. Mas isso só vai durar até precisarmos nos separar para localizar os outros.

Fui até a Espanha em busca da Número Sete e encontrei mais do que esperava: um décimo membro da Garde, que conseguiu escapar vivo de Lorien. Ella é mais jovem que o restante de nós, mas igualmente corajosa. Agora estamos à procura dos outros — de John inclusive.

E eles também.


"O Número Um foi capturado na Malásia.

O Número Dois, na Inglaterra.

E o Número Três, no Quênia.

Fui capturada em Nova York, mas escapei.


Eu Sou a Número Seis.


Eles querem terminar o que começaram.

Mas, antes, terão que lutar.




A Ascensão dos Nove é o terceiro livro da série "Os Legados de Lorien" (sequência de Eu Sou o Número Quatro e O poder dos Seis, respectivamente). Então, se você não leu os outros livros, não recomendo a leitura desta resenha. Mas se você não se importar em saber alguns detalhes, pode ler sem medo.

Após o final de O Poder dos Seis, eu fiquei bastante empolgada e na expectativa para ler Ascensão dos Nove. A forma como o livro terminou deixou várias coisas para serem resolvidas e desenvolvidas neste livro. Será que os membros da Garde iriam conseguir se reunir? O que aconteceu com o Sam? Os mogadorianos seriam derrotados?

Enquanto John e Nove estão escondidos nas montanhas recuperando forças e se preparando para derrotar Setrákus Ra e resgatar Sam, o amigo de John que ficou para trás na última batalha; Marina, Seis, Ella e seu cêpan Crayton estão a caminho da Índia onde acreditam encontrar mais um membro da Garde, mas durante todo o caminho elas irão lutar muito enfrentando ataques de todos os lados.

Toda a mitologia dos lorienos e seus legados são melhor explorados. Conhecemos também novos personagens: O número Nove que é grosseiro e ao mesmo tempo bem engraçado, e o número Oito que é mais sensato e espiritualizado, gostei muito dos dois. Marina e Seis são minhas favoritas. O único que tenho uma relação instável entre gostar e não é com o John. Ele é ótimo, pena que às vezes consegue irritar tanto.

O fato é que senti muita falta de Sam neste livro, senti falta da sua interação com John e até mesmo da interação deste com Seis. Para mim eles eram o trio perfeito de O Poder dos Seis. E o assunto Sam acabou sendo deixado para resolver apenas no quarto livro.

A narração agora também é feita por Seis, juntamente com Marina e John que já narravam O Poder dos Seis. E é claro que eu amei, já que Seis continua sendo de longe a minha personagem favorita.

Pitaccus Lore merece pontos também pelo visível desenvolvimento de seus personagens, podemos perceber até na pequena Ella, grandes mudanças desde "O Poder dos Seis", o que não é diferente com John, que passa por grandes transformações nesse livro, referindo-me a suas ideologias quanto a seu dever na terra. É bacana também, reparar a construção e profundidade de alguns personagens, tomando por exemplo Marina, que sofre com inseguranças herdadas desde sua chegada a terra.

Esse volume teve um pouco menos de ação que o anterior. Muitas coisas ficaram em aberto e tive um pouco a sensação de "enrolação", em compensação a narração é empolgante e a leitura flui muito rápido. O melhor foi o final supereletrizante que deixou aquele desespero já que a previsão de lançamento The Fall of Five nos EUA está pra ser no final de agosto. Agora é respirar fundo e esperar pela continuação dessa deliciosa aventura. 




Critérios de Avaliação

a) Arte da Capa:

Seguindo a ordem, A Ascensão dos Nove também tem várias versões de capa de acordo com a região onde foi lançado. Mas a versão que a Intrínseca trouxe para o Brasil é a que segue representando os elementos, dessa vez o símbolo Lorieno está na areia, representando o elemento terra. O titulo continua em relevo e essa capa me remete a força, que se encaixa perfeitamente com a reunião da Garde.


b) Trama:
A trama continua no mesmo ritmo frenético que seus antecessores, a ponto de chegar um momento em que se acha que não há nada mais para acontecer e então há a reviravolta bem no final, deixando o gancho perfeito pra continuação da saga. O enredo segue forte e sem perder a mesma magia do primeiro livro.


c) Caracterização dos Personagens:
Os personagens são um show à parte com suas personalidades. Os autores conseguiram construir um grupo muito diferente entre si, mas que quando juntos são a combinação perfeita. Apesar de serem adolescentes não há aquele drama maçante e a cada nova situação é possível notar o ainda maior amadurecimento de cada um. O autor ainda merece o crédito, pois em menos de trezentas páginas ele conseguiu explorar cinco personagens diferentes de uma maneira extremamente eficiente, dando a eles uma identidade tão própria que, só pelo jeito de falar você já sabe de quem se trata.


d) Qualidade do Livro (papel, letra, erros, etc.):
A diagramação e a revisão são as padrões da Intrínseca. O papel é aquele poroso de que tanto gosto, com a cor de creme mais fosco. As letras são médias. E novamente há vários símbolos Lorienos (que suspeito eu são a representação dos números a que cada Garde representa) usados nas quebras de cena.


e) Comparação com outras obras do Gênero: A Ascensão dos Nove segue forte a trilha deixada por seus antecessores. Não ficando somente na teoria de conspiração o livro tem muita ação e um toque levíssimo de romance juvenil, trazendo algo bem moderno ao gênero de ficção cientifica.

Nota: 4,5

Um comentário :

  1. Louca para ler este, li apenas os outros 2 e estou gostando da série.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir